SCQ – Folhas da Videira e Desculpas

Oláááá leitores lindos!

Antes de qualquer coisa, 149587026547891327 desculpas por esse tempo todo sem posts e sem notícias, ficamos sem tempo e condições de postar, algumas coisinhas aconteceram, mas vimos que o blog está sendo muuito acessado, e com posts novos com certa frequência, que talvez não será a mesma de antes, mas vamos nos esforçar pra dar o Seven Cupcakes que vocês merecem. Afinal, ano de vestibular não é fácil pra ninguém, e nós todas estamos aprendendo beeem como é isso.

Depois das desculpas, vamos retomar o blog com uma novidade, a seção Selo Cupcake de Qualidade, ou como puderam notar no título do post, para abreviar, SCQ. Aqui vamos mostrar todo tipo de coisa que nós, Cupcakes, experimentamos/usamos/testamos/provamos, aprovamos, e claro, nossos leitores merecem conhecer. Vocês vão ver aqui desde maquiagem a comidinhas, lugares, sites, livros, filmes, enfim, qualquer coisa que valha a pena ser divulgada.

E para começar…

Vamos apresentar um livro de poesias (de sonetos, pra ser mais específica), escrito por um amigo das Cupcakes, André Felipe Costa Silva, chamado Folhas da Videira. São 49 sonetos, e eu garanto, vale a pena ler. Não li o livro inteiro, mas alguns poemas, e gostei bastante. E não só eu, outras Cupcakes também, e nós aprovamos.

Eis uma estrofe de um poema, que não está no livro, só pra dar um gostinho de quero mais:

Andrômeda

Se acaso ela soltasse seus cabelos
Quem sabe pararia eu de sonhar?
Se acaso ela soltasse seus cabelos
O dragão da lua apareceria
Neste claríssimo quarto crescente
Com toda sua glória e poder presentes.
Quem sabe seríamos um pelos ares
E, passando por pontes já queimadas
Chegaríamos a um solo virgem, velho
Onde o mundo seria refeito, novo.
Mas Hélios, o espartano, é mais tenaz
Com suas tais setas tão reais e tão vivas

Muito bom, não? E pra conhecer muuuito mais, vocês têm que comprar o livro nesse link: http://perse.doneit.com.br/Paginas/DetalhesLivro.aspx?ItemID=1795. Há a versão em PDF (mais barata) e a impressa, pra ter de forma mais concreta essa obra super legal.

Começamos bem essa nova seção, comprem, nem que seja a versão em PDF que é super acessível, cultura e belas palavras não faz mal a ninguém!

Por fim, pra estampar todos os posts dessa nova seção, o nosso selo de qualidade, dessa vez recebido por esse livro lindo.Beijos, vejo vocês em breve!

Postado por:

Fake

Olá, mortais! Hahah.

Bom, este é o primeiro post em que tenho de fato um “contato direto” com vocês. É a primeira vez que terão contato com minha personalidade, meus modos de falar e, se forem um pouco mais críticos e souberem ler nas entrelinhas, até de agir.

Agora, me conhecerão tal como conhecem Sensação, Doce de Leite e outras cupcakes – o que pode ser uma coisa muito boa ou uma coisa muito ruim. Vamos ao post, portanto. Este, como o próprio nome diz, é sobre nada mais nada menos do que os famosos perfis fakes. Preparem-se, não pouparei palavras para este texto!

Fake. Do inglês, falsificar, enganar.

Quem me conhece e convive comigo deve saber que sou dona de alguns personagens fakes – personagens reais ou não, criados para fins de interpretação principalmente no orkut, embora também existam fóruns de interpretação fake em sites específicos.

Oh, estão confusos? Permitam-me explicar. A “interpretação fake” nada mais é do que descrever, como em um livro, as ações, pensamentos e impressões de seu personagem. É redigir uma história, é jogar um RPG e matar monstros ao escrever suas ações! Ser dono de um fake é ser capaz de controlar uma vida, mesmo que sua interpretação seja em primeira pessoa.

Falando assim, parece que criar um fake é como “brincar de boneca”. De fato, é. Mas você não investe muito tempo de sua vida brincando de boneca. Também não conhece gente nova, tampouco coloca sentimentos reais em uma brincadeira de boneca. Nessa última parte é quando entra o lado destrutivo do fake, onde milhares de Offs (os donos dos fakes) se encontram nesse exato momento.

Não vou mentir para vocês. O mundo fake é viciante, é sedutor, é divertido. Pessoas que criam fake normalmente o fazem pois tem muito tempo livre, decorrente da falta de vida social – a falta de amigos. Quer encontrar alguém que já sofreu bullying e superou, ou pelo menos está tentando superar? O fará em qualquer fórum de interpretação fake. Essas pessoas encontram no anonimato a segurança que lhes falta na vida real, a segurança para ter amigos e para fazer e ser o que quiser – desde um demônio manipulador de fogo a um próprio deus.

E eis a pior parte do mundo fake: você se apega às pessoas com uma facilidade impressionante. Sei disso porque tenho um fake e, há dois anos, conheci alguém cujo nome não precisará ser pronunciado.

Começou com indiferença. Então se transformou em profundo ódio e – quem diria? – admiração. Há alguns meses percebi que estava gostando mais dessa pessoa do que deveria estar. No entanto, a distância nos separava. E não só a distância: essa pessoa, embora extremamente cativante, era como uma cocaína. Tão viciante quanto destrutiva.

Pela primeira vez em muitos anos, eu tinha uma vida real em paralelo com a vida fake. Tinha alguém que gostava de mim, tinha amigos de verdade, tinha um motivo para viver. Esse alguém me pediu para jogar tudo para o alto por ele. Era um preço alto demais, vocês não acham? Eu também achei. Por isso, literalmente o excluí da minha vida.

Esse pseudo-drama não é apenas meu. Conheço e conheci muita gente que não podia ficar com quem dizia amar por causa da distância e – triste destino – por causa da própria vida! Há muita gente destrutiva no fake. E essas pessoas estão transformando o mundo fake em uma máquina de destruição emocional! Isso interfere na vida real, sabe? Isso machuca de verdade. É para ser só um jogo, mas todo mundo se machuca no final.

O fake é um refúgio. Mas vai se transformar em seu maior pesadelo, se você não sair antes que te domine e antes que te destrua. Eu acho que sairei tarde demais, e o fake me tornou o que sou no momento.

Só espero que não piore.

Postado por:

Medo

Tem algo me prendendo aqui.

Não é prender no sentido de estar amarrada a algo, mas sim no sentido de… Sufocação. Apesar de preso, meu coração bate mais rápido do que nunca. Eu sinto a adrenalina fluindo através de meu corpo, me preparando para qualquer tipo de ataque que possa ocorrer. Mas não há perigo algum. Pelo menos não fisicamente. Pelo menos, não agora.

Pelo canto do olho, eu vejo os monstros que tanto me assustam. Um homem com o rosto desfigurado na forma de um redemoinho, um rato amarelo com demoníacos olhos vermelhos e um sorriso de orelha a orelha, igualmente maligno. Sangue, ah, eu vejo tanto sangue!

E todas essas visões me arrepiam, fazem meus olhos lacrimejarem. Eu quero me encolher, mas não consigo me mover. Eu quero olhar para trás, mas não quero ver o que vejo no canto dos olhos. Mesmo com o vento gélido acariciando meu frágil corpo, eu sinto as baforadas quentes em minha nuca. A respiração daqueles que eu temo!

Fecho meus olhos por um momento e cubro meu rosto com as mãos. Mesmo assim, as imagens que antigamente me fascinavam, e hoje me amedrontam, continuam rondando minha mente. O grito por ajuda é inevitável, mesmo sabendo que super heróis já não mais existem.

Sozinha no escuro, mãos envolvem meus ombros trêmulos. Mãos frias, cálidas como minhas lágrimas. Abaixo minhas mãos e enfim abro meus olhos.

Então essa é a face da morte?

Postado por:

Leia (Mentiras)

Para melhor entender esse post, ouça essa música e leia o texto ao mesmo tempo, relacionando a voz dos cantores às palavras que lerá. (Como se fosse uma tradução da música!)

Ambos:

Você foi a razão da minha existência,

Foi cada batida do meu coração,

Não importa quanto eu tente me enganar…

Será que você sabia o quanto era importante

Para mim?

Ele:

Almas sem sentimentos, tintas sem cor,

Telas vazias, esculturas sem forma,

São palavras sem significados,

Flores sem cheiro algum.

 

Você já não está aqui,

Ninguém mais pode me ajudar.

Já não mais caminho, tudo está vazio.

São páginas em branco de um livro nunca escrito.

 

Talvez se você pudesse saber…

Ela: 

Ou se ao menos pudesse sentir…

Ele:

Por que sua pele macia… Está tão fria?

Ela:

Meu coração ainda é teu,

Mas meu corpo frio já não o pode ser.

Embora não possa sentir teu toque,

Serei sempre tua, em teus sonhos 

Ele:

Sonhos não são o bastante

Quero te tocar, aqui e agora

Por isso pinto em cores fortes este quadro

É sua imagem, mas nunca será Leia.

Leia…

Ela:

Sinta meu cheiro a noite, quando dorme…

Ele:

Aromas nostálgicos, memórias torturantes,

Nada disso pode suprir a falta da flor silvestre

Para o pássaro faminto

Que dela sempre se alimentou

Ela:

Por favor, não chore.

Já não posso mais secar suas lágrimas.

Ele:

Para que quero viver, se não posso te tocar?

Oooh… Oooh… Ooooh…

Ela:

Sinta meus braços envolvendo-te.

Ele:

São apenas sonhos, você não está aqui.

Ela:

Sinta meu toque quente em teu rosto.

Ele:

Sei que está secando minhas lágrimas.

Ela:

Acredita que pode me ver agora?

Acredita que estou ao seu lado?

Ele:

Abro meus olhos, pronto para voltar ao abismo.

Mas você estava ali sorrindo para mim.

Ambos:

Você foi a razão da minha existência,

Foi cada batida do meu coração,

Mesmo a morte se torna suportável

Se você estiver ao meu lado no final.

Mesmo uma tela pintada com mentiras

Ele:

Não me fará cair se você estiver lá.

E meu coração jamais esquecerá

De minha amada Leia.

Leia… Leia… Ooohh…

Postado por: